• JáPassei Educação

Dicas Para Construir Um Estudo De Caso



Muitos estudantes de concurso já se surpreenderam ao ler um edital e encontrar a informação de que, além da prova objetiva, haveria também um “estudo de caso”, que poderia ter caráter classificatório ou eliminatório, como é o caso da prova para Auxiliar técnico de educação, que está sendo organizada pela Fundação Vunesp e será aplicada na cidade de São Paulo.


Diante da informação, muitos tendem a acreditar que se trata de uma redação comum, no entanto, as diferenças são muitas, e o estudo de caso exige um pouco menos de técnica e um pouco mais de vivência, uma vez que avalia aspectos referentes a como o candidato se portaria em determinadas situações.


O estudo de caso ocorre quando a banca do concurso solicita que o participante escreva um texto no qual demonstre conhecimento dos temas do edital, por meio da análise de uma situação hipotética. No geral, é uma maneira de avaliar se o candidato consegue aplicar a teoria a um caso concreto.


Não é para ser difícil, uma vez que normalmente questões assim observam como o candidato reagiria diante de situações corriqueiras que certamente o acometerão se ocupar a vaga para a qual está fazendo a prova.


Entendido o que é um estudo de caso, vamos a algumas dicas que podem ajuda-lo a desenvolver um texto nesta modalidade.


  • 1. Como se preparar para desenvolver um estudo de caso?

Primeiro, observe um dos estudos de caso aplicados no último concurso para Auxiliar Técnico de Educação, no ano de 2014:


“Atualmente, tem sido muito discutida, na mídia, a ocorrência de Bullying, que é uma situação caracterizada por atos agressivos, verbais ou físicos, constantemente, por um ou mais alunos, contra seus colegas. Esse fato se repete no horário de entrada e saída da escola, quando o Auxiliar Técnico de Educação está encarregado de acompanhar alguma atividade dos alunos. Exponha sua opinião sobre esse problema, a possível origem e as consequências desses atos, além de especificar as atitudes que deveriam ser tomadas a esse respeito, no desempenho de suas atribuições”.


Como antes mencionado, os estudos de caso normalmente possuem uma associação direta com a vaga para a qual o candidato escolheu, como é o caso deste aqui apresentado, que objetivava saber quais atitudes seriam tomadas por um auxiliar técnico de educação diante de ocorrências de bullying.


Logo, a melhor forma de se preparar é estudando com afinco todos os tópicos do edital, observando quais serão as designações do cargo e, se possível, entender como é a vivência de um profissional que já ocupa aquela vaga.


  • 2. Como escrever o estudo?


Os estudos de caso não são extensos como uma redação-dissertativa, normalmente exigem menos de 15 linhas, uma vez que a ideia é um posicionamento rápido e objetivo por parte do candidato. No entanto, alguns itens não devem ser descartados, como o respeito à gramática normativa (acentuação, pontuação, concordância etc.), a coesão (ligação entre as partes do texto) e a coerência (posicionamento claro do candidato).


A dica é sempre começar apresentando um panorama da situação, ou seja, o que está acontecendo ou o que aconteceu para que aquele assunto mereça relevância. Também pode ser uma conceituação do assunto. Sobre as atitudes que poderiam ser tomadas em relação ao bullying, por exemplo, o texto poderia ser iniciado da seguinte maneira: “Ao contrário do que muitos acreditam, o bullying não é apenas uma brincadeira de crianças que deva ser resolvida entre elas mesmas, uma vez que agressões, ofensas e humilhações são apenas exemplos desse mal que gera em alguns estudantes insegurança, ansiedade e até mesmo depressão”.


Depois é a hora de inserir sua resposta ao questionamento inicial, ou seja, que atitudes tomaria diante de casos assim. Lembre-se de ser impessoal nas respostas, ou seja, nunca utilizar primeira pessoa (eu acho, eu sei, eu acredito, etc.). Pense em construções como “sobre isso, é preciso que se organize...” ou “entende-se...”, “faz-se necessário refletir...”.


Dado seu posicionamento, feche o texto analisando como sua atitude poderia, de fato, trazer benefícios àquela situação apresentada.


  • 3. Que tópicos normalmente são avaliados em um estudo de caso?

O estudo de caso visa avaliar os conhecimentos necessários ao desempenho pleno das atribuições do candidato ao respectivo cargo, além de considerar sua capacidade de leitura, de interpretação e de escrita na forma culta da língua portuguesa. Na correção, que não é diferente da avaliação de um texto dissertativo, comumente observa-se o conhecimento do conteúdo, a capacidade de o candidato desenvolver a questão apresentada com clareza, coerência e objetividade, a organização do texto, a técnica de redação, o domínio do léxico e a correção gramatical.


  • 4. O que não se pode fazer em uma questão assim?

Normalmente as bancas penalizam candidatos que não seguem as recomendações expressas na folha de redação, como a fuga do tema, textos não-articulados (sem coesão), letras ilegíveis, ocupação de menos de sete linhas, partes copiadas de textos de apoio e até uso de corretivos.


Leia com muita atenção todas as informações constantes junto ao tema e evite que seu texto seja penalizado.


Bons estudos!!!

137 visualizações
© JáPassei - Cursos Preparatórios
  • Blog - JáPassei
  • Facebook - JáPassei
  • Instagram - JáPassei